quinta-feira

Sul da Bahia entra em alerta com a Mina Mirabela, que possui mesmo nível de risco de Mariana |


"A lama tóxica vinda do Rio Doce, resultado da negligência da Samarco (Vale/BHP) e da falta de fiscalização do poder público, não chegou ao litoral sul da Bahia, ao contrário de informações que circulam nas redes sociais. Mas isso não é motivo para a sociedade civil de Itacaré e do sul Bahia baixar a guarda para os riscos de impactos da mineração em nossa região." a declaração é da presidente do Instituto Nossa Ilhéus, Maria Socorro Mendonça. 

A mineradora Mirabela, que fica localizada entre Ipiaú e Itagibá, mantém uma barragem de rejeitos de níquel, que fica a apenas 1km de distância do Rio de Contas, de acordo com imagens de satélites do Google Mapas. A presidente do Instituto, em sua página na rede social Facebook, ainda destacou que em 2014 o Departamento Nacional de Produção Mineral fez uma análise de risco das barragens de mineração no Brasil, e concluiu que o complexo de mineração Santa Rita da Mirabela em Itagibá está classificada como C - risco moderado. Essa é a mesma classificação da barragem que rompeu em Mariana-MG e matou o Rio Doce.  

Socorro afirmou na mesma rede social que desde 2011 a ONG local Papamel já denunciava que a Mirabela não estava cumprindo as condicionantes impostas para operação da mina de níquel, a maior da América Latina, e que não conseguiu encontrar o Relatório de Condicionantes da empresa, sendo a última publicação do relatório datada de 2012. Na última quarta-feira (25), o site Ipiaú On line publicou uma reportagem, que trazia informações referente a demissão de funcionários que atuam diretamente no monitoramento da barragem, e a paralisação das atividades pelo período de 20 dias. Ainda não se sabe ao certo o motivo das paralisações.   

Na última terça-feira (24) foi realizada uma Sessão Conjunta das Câmaras Municipais de Ipiaú e Ibirataia, que discutiu a segurança da barragem. Diversos movimentos tem se formado na região sul da Bahia com relação a questão, e todos levando o lema "Mariana pode ser aqui, se a gente não lutar! O objetivo da maioria deles é forçar o Ministério Público Ambiental a realizar inspeções na área da Mirabela, visando constatar a real situação de segurança da barragem. (Notícias de Ubatã) 

Nenhum comentário: