terça-feira

Ipiaú: Vítima de injúria racial, médica desiste de processo. "É uma pessoa digna de pena"

A médica Iara Brandão foi vítima de injúria racial na madrugada de domingo.

A médica mineira Iara Clementino Sanches Brandão, 26 anos, que foi vítima de injúria racial no último sábado, na cidade de Ipiaú, disse que não vai dar continuidade ao inquérito que apura o caso. Apesar de o documento já ter sido encaminhado à Justiça, nesta segunda-feira (7), Iara, que é clínica-geral, decidiu perdoar Alighiere Estevão Lima, que a chamou de “preta, feia, pobre e pequena” após colidir contra seu carro, na frente do hospital onde estava de plantão. Ele acabou preso em flagrante. Segundo Iara, depois que o pai de Alighiere, José Raimundo Lima, reprovou a atitude do filho em sua página no Facebook e ter explicado que o agressor sofre com depressão e costuma ingerir bebida alcoólica fazendo uso de medicação, ela decidiu perdoa-lo. 

“O pai dele é uma pessoa excepcional, muito educada e mostrou-se indignada com o que filho fez. Além disso, ele (Alighiere) é uma pessoa digna de pena. Precisa fazer tratamentos e, por isso, eu, como médica, não podia seguir em frente”, declarou. Iara disse que compareceu na manhã desta segunda à Delegacia de Ipiaú, onde formalizou sua decisão ao delegado Ivan Lessa. O documento foi anexado ao inquérito e caberá o parecer da Justiça. “Ele foi indiciado por injúria racial, dano ao patrimônio público e por conduzir veículo sob efeito de substância alcoólica”, explicou o delegado. Alighiere foi liberado após pagamento de fiança de dois salários mínimos.  
Caso aconteceu em frente a Clínica São Roque (Foto:Giro em Ipiaú)

Na delegacia, Iara encontrou José Raimundo. “Ele tornou a se desculpar, garantiu que vai pagar meu carro e me entregou uma carta assinada pelo filho com um pedido de desculpa”, disse a médica ao Correio da Bahia. O caso de injúria racial foi divulgado pela reportagem do GIRO na manhã do último domingo.

Nenhum comentário: