terça-feira

Vanádio de Maracás nega vazamento em sua Barragem de Rejeitos

Foto: Reprodução/Carla Ornelas. 

A Vanádio de Maracás S/A emitiu uma nota a respeito de uma matéria reproduzida nesta segunda-feira (30), a qual informava da morte de animais e plantas após um suposto vazamento de rejeito da mineradora que explora a extração de vanádio, na região de Maracás. A denuncia foi feita pela Associação de Produtores Rurais do município (lembrar matéria). A mineradora nega que o vazamento tenha sido da barragem de rejeitos. 

Segue a nota na íntegra:   

- A Vanádio de Maracás informa que, no dia 22 de novembro de 2015, ocorreu um vazamento de uma solução com pH básico fora do piso impermeabilizado da unidade de produção de Vanádio. O incidente foi provocado por um problema mecânico no filtro e pela queima de 2 bombas responsáveis por bombear a solução do piso para os tanques de armazenamento. Parte da solução transbordou para fora do piso, chegando à drenagem natural através de uma canaleta destinada para águas pluviais. Com o incidente, a operação foi paralisada imediatamente. Para minimizar os efeitos do vazamento, foi instalada uma bomba portátil para direcionar a solução remanescente no solo e na canaleta para os tanques de armazenamento, reduzindo o volume transbordado.  

Desde então, a Vanádio de Maracás vem tomando outras medidas, tais como: bloqueio do canal de drenagem destinado a águas pluviais para evitar que nenhuma solução venha atingir a drenagem natural no futuro; limpeza e remoção das poças de solução junto à drenagem natural da área; aumento da área impermeabilizada com respectivo dique de contenção e sistema de bombeamento, evitando qualquer risco de reincidência de vazamento para o meio ambiente, mesmo em caso de problemas mecânicos.  

O volume do vazamento foi reduzido (cerca de 10 m³) e seus impactos ambientais ficaram restritos à área da empresa, numa extensão menor que a metade de um campo de futebol. A empresa está realizando amostragens das águas em diversos pontos dentro e fora do empreendimento, no Córrego João, Rio Jacaré e Rio de Contas, para certificar a qualidade da água. Estes resultados serão comunicados a todos os interessados. A empresa já comunicou e protocolou o incidente ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídrico (INEMA) de Salvador, bem como, nos dias 25 e 27 de Novembro, abriu as portas do empreendimento para os representantes das comunidades vizinhas e da prefeitura de Maracás para relatar o fato e visitar a área afetada. A Vanádio de Maracas já iniciou as ações de mitigação dos impactos causados ao meio ambiente -, finaliza a nota.

Nenhum comentário: