sexta-feira

Ministro do STF tira aliado de Geddel da penitenciaria e manda para prisão domiciliar

Geddel e Gustavo foram presos em operação da Polícia Federal

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar Gustavo Ferraz, ex-diretor-geral da Defesa Civil de Salvador. Fachin determinou, em sua decisão, que Ferraz permaneça em prisão domiciliar, não use telefone ou internet nem exerça qualquer função pública. Ferraz deve usar tornozeleira eletrônica e pagar fiança de R$ 93.700. Além disso, ele está proibido de ter contato com outros investigados no caso e seus familiares. O ex-diretor foi preso no início de setembro com o ex-ministro Geddel Vieira Lima, após a Polícia Federal encontrar suas digitais em notas dos 51 milhões escondidos em malas e caixas em um apartamento, ligado a Geddel. De acordo com a PF, o dinheiro pertence ao ex-ministro e é oriundo de propina. Ferraz estava detido no presídio da Papuda, em Brasília, e já teve outros pedidos de liberdade negados.

Nenhum comentário: